. . .

17 de jan de 2013

Ninho da Murucututu na RPPN Buraco das Araras

Durante a primavera muitas aves estão em período reprodutivo. E algumas aves utilizam o Buraco das Araras para nidificarem, como uma espécie de abrigo. E pelo sexto ano consecutivo  pode-se acompanhar a nidificação da  coruja Murucututu (Pulsatrix perspicillata).Sempre no mesmo local, em uma das fendas da dolina, observa-se o ninho da coruja, ele fica próximo ao segundo ponto de observação do passeio. Este ano nossos monitores acompanharam parte do período reprodutivo da ave.

Primeiro registro da ave este ano na RPPN durante a incubação. 
Foto: Olivia Suzuki (12/10/2012).

Caracteriza-se por ser uma coruja grande medindo aproximadamente 48 cm, e por sua faixa branca que se estende desde a sobrancelha  até a lateral do bico formando o desenho da letra X. clique aqui (para mais informações sobre a ave)

Individuo adulto nas proximidades do ninho.
Foto: André Turatti (16/09/2007)

Os  registros da ave na RPPN foram feitos no inicio da postura e posteriormente da mãe com o filhote. A mesma pode ser vista com mais frequência aqui na reserva aproximadamente nos meses de Outubro a  Janeiro podendo observar também o seu filhote.

Mãe e filhote se apresentam no ninho.
Foto: Olivia Suzuki (01/12/2012)

Com aproximadamente 3 semanas, já se pode observar o jovem sozinho no ninho.
Foto: Olivia Suzuki (12/12/2012)

Através do acompanhamento da ave  (nada relacionado a pesquisas científicas), no dia 12/12/2012 durante o período da manhã, foi observado o  primeiro voo do filhote. E agora com aproximadamente um mês de vida consegue-se observá-lo junto com os pais já caçando. Agora iniciando a sua faze adulta, o filhote já sobrevive sozinho, buscando seu próprio alimento e  normalmente observado sem a  companhia dos pais, ficando mais difícil sua visualização durante o dia todo, como era de costume no inicio do seu nascimento.

Último registo feito do filhote.
Foto: Bruno Piato (03-01-2013)

Esperamos que esta belíssima ave nidifique por longos anos em nossa reserva e que possam ser feitos  mais registros de seus filhotes acompanhando de perto todo seu comportamento, pois isto é reflexo de todo trabalho de conservação realizado em nosso ambiente. E que venha mais filhotes! 








Postar um comentário